Hotel Taj Mahal / Iberostar Grand Amazon

Oi Ricardo
A viagem foi muito boa, o único senão foi o Taj Mahal. Nem mesmo o restaurante giratório pode ser recomendado. Certamente não voltaremos nem recomendaremos esse hotel.
Em compensação o navio Iberostar Grand Amazon superou a nossa expectativa, em todos os sentidos, do embarque até o desembarque. A cabine foi a melhor em que viajei, a tripulação e os guias excelentes. Já estou recomendando. Por enquanto ainda não tenho fotos. Abs e muito obrigado. Sarcinelli

Anavilhanas Lodge / Expedição Katerre

Ola Ricardo,

Chegamos bem, hoje pela manhã, de volta a SP.
A viagem foi sensacional – todos adoramos. Foi uma experiência inesquecível.

O Anavilhanas Jungle Lodge é bem organizado, os guias e passeios muito bons o que realmente nos fez sentir a selva em todos os sentidos.

A região de Novo Airão, além de simpática e acolhedora, é perfeita para este tipo de experiência, principalmente pela ausência de mosquitos. Lá tivemos o nosso primeiro contato com a selva Amazônica – nadamos no Rio Negro, no pier do hotel, e saímos para um reconhecimento da região e das ilhas com o barco tipo “voadeiras” e um guia local que conhece cada pedacinho de lá.
Nos próximos 3 dias , muito bem organizado, fizemos passeios de barco, caminhadas, vimos os botos e até uma visita à comunidade ribeirinhas – tudo impecável.

Quando o Awapé – barco da katerre, atracou no pier do hotel para nos buscar, a primeira visão foi emocionante. Noé, nosso guia e um dos sócios da empresa, estava a porta para nos receber, junto com a tripulação que incluía comandante Tito, marinheiro Maguinho, chefe de cozinha Claudio e sua ajudante Graciete – todos super atenciosos e simpáticos! Realmente não havia melhor forma de deixar uma primeira impressão.

Daí pra frente, começou nossa aventura rumo a Manaus, descendo o Rio Negro até a casa do ribeirinho Marcio, aonde passamos a nossa emocionante e, ao mesmo tempo, assustadora, noite na floresta (em redes, contato direto com a escuridão e os sons da mata tropical) – inesquecível.

As fartas e elaboradas refeições, cada pôr de sol cinematográfico, e após varias atividades e explicações sobre a fauna e flora observadas, chegamos ao encontro da águas, aonde tivemos a grande oportunidade de banhar nos dois rios em um mesmo mergulho, sentindo as diferenças de temperatura e densidade entre o Negro e o Solimões, e captando toda a energia dos dois rios que formam o grande Amazonas.

Enfim, tudo perfeito e inesquecível: eu, a Rosane e nossos 3 filhos Guilherme, Gustavo e Daniel, realmente nos lembraremos destes momentos e aventuras para sempre!

Foi tudo simplesmente perfeito.

Abraço,
Marcio